terça-feira, 27 de julho de 2010

Passa Quatro


Passam quatro horas
e a espera das respostas
muitas vezes nos vira as costas
e nos faz revirar as voltas

Passam quatro portas
que podem, de repente ser
abertas ou fechadas
propondo mil caminhos e
possibilidades

Passam quatro notas
delicadas pra serem ouvidas
pois sopram apenas ao coração

Passam quatro batidas
quatro despedidas,
quatro contratempos,
quatro desentendimentos
quatro... sempre quatro
que coloca a poeta a equilibrar-se
à procura de seu tempo.

Um comentário:

Zildete M. disse...

Passam quatro estações
e, à tua espera, eu,
Em toda elas...

ADOREI seu poema, amiga! bjs, zil