segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Um poema, a La Cecília Meireles, que amo...



De repente um Oceano (Em memória de Ocean Leite)

A vida só é possível reinventada
- como já fez Cecília em seu poema-
Só é possível recriada a cada segundo de um ser.

A morte, porém, só é possível se reinventada também.
Só se sobre ela eu reclinar meu pensamento
na tentativa de entender novamente a vida
e viver mais forte,
mais clara ou púrpura,
enquanto a dor acontece.

“- Não deixe-se!”
Mesmo partindo-se em muitos,
sempre encontrarás a essência
para novamente te reiniciar e te recriar.

O contato da caneta no papel,
a chuva que teu cabelo absorve,
tua respiração ofegante
servirão de começo para uma outra história.

A cada segundo, enquanto algo nasce e morre ou
permanece intacto e sozinho,
tudo se rememora e recomeça o ciclo da vida.
“-Ontem, a noite serenou...”

2 comentários: